segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Violência contra a Mulher

Violência é o ato de agressão que  causa sofrimento físico ou psicológico. Uma mulher pode sofrer uma violência em qualquer lugar, na rua ou até mesmo dentro de casa. Quando a mulher sofre qualquer tipo de agressão em um lugar público, como qualquer outro cidadão, ela esta amparada pelas leis comuns e deve procurar imediatamente uma delegacia. Mas quando a violência ocorre em casa, por familiares, por pessoas que convivem no ambiente doméstico ou pelo marido, ela tem a proteção da Lei 11.340 (Lei Maria da Penha).



Para saber mais sobre a Lei 11.340 clique no link a seguir: Lei Maria da Penha.

Alguns tipos de violência contra a mulher:

Física - Qualquer agressão que se dê sobre o corpo de uma mulher. (Ex: espancamentos)

Psicológico - Se têm esse tipo de violência a partir de constragimentos, insultos ou ridicularização.

Moral - Condutas que configure calúnia ou difamação.

Sexual - situações onde é obrigada a presenciar, manter ou participar de uma relação sexual não desejada.

Patrimonial - atos de retenção, subtração ou destruição de seus bens.

Esses tipos de violência trazem uma experiência emocional dolorosa e que por muitas das vezes são mantidas em segredo por medo ou vergonha.

Sinais de que uma mulher pode estar sofrendo algum tipo de violência: 

  • Crises de Choro
  • Automutilaçao (Envolvimento com drogas, bebidas, se machucam, se cortam...etc)
  • Medo de estar sendo perseguida
  • Pensamentos suicidas 
  • Isolamento (Muita das vezes estão sendo impedidas de manter contato com amigos e familiares)
  • Machucados inexplicáveis (machucados estranhos no rosto, corpo ou braços)

Quais as providências que devem ser tomadas? Procurar a polícia, uma delegacia e denunciar. Procurar grupos de apoio onde se pode obter um suporte emocional.

Superando o trauma da violência:
  • Conte para alguém de sua confiança
  • Tome medidas Legais
  • Tenha força de vontade, trace metas, objetivos, resgate sonhos, não olhe para trás, evite ficar pensando no passado, siga em frente.
  • Busque atividades que te façam relaxar, que te trazem alegria.
  • Se aproxime de Deus (trabalhe a sua fé)
  • Não se culpe
  • Não se isole
  • Perdoe (ódio, mágoa e rancor dificulta você de ter uma vida emocional saudável)
Acredito que quando você conseguir liberar o perdão, quando você conseguir falar sobre o ocorrido livre de lágrimas e sensações angustiantes (Ex: aperto no peito, nó na garganta), será um grande sinal de que esse trauma pode ter sido superado. 

"Mulher, o fato de você ter que ser submissa ao seu marido, não quer dizer que você tenha que se submeter à violência."